Diretrizes brasileiras para o manejo de potenciais doadores de órgãos em morte encefálica.

Segundo dados do Registro Brasileiro de Transplantes, em março de 2021 o Brasil possuía o total de 44.309 pacientes ativos na lista de espera de transplantes, com 25.894 indivíduos aguardando um rim, 1.060 um fígado e 16.555 as córneas.  Entre janeiro e março de 2021 foram notificados 2.808 potenciais doadores, destes, 1.331 eram doadores elegíveis, porém apenas 577 tiveram os órgãos efetivamente transplantados. Infelizmente a velocidade da fila é lenta e no primeiro semestre de 2021, 758 doentes faleceram aguardando o tão esperado transplante. (1)

O manejo adequado do potencial doador é fundamental para evitar paradas cardíacas neste perfil de paciente e para aumentar a viabilidade dos órgãos. Recentemente uma força tarefa composta pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira, a Associação Brasileira de Transplantes Situs Slot Gacor Hari Ini de Órgãos, a Brazilian Research in Critical Care Network e a coordenação geral do Sistema Nacional de Transplantes publicaram as novas diretrizes brasileiras para o manejo de potenciais doadores de órgãos em morte encefálica. O documento trouxe 19 recomendações dirigidas a temas como ventilação mecânica, hemodinâmica, suporte endócrino metabólico, infecção, temperatura corporal, transfusão sanguínea e uso de checklists, buscando promover o mínimo de homogeneidade nas condutas. (2)

As recomendações seguem abaixo e são focadas em medidas para proteção da viabilidade dos órgãos, além de prevenção de arritmias, reduzindo assim a chance de paradas cardíacas. (2)

Recomendações para manutenção do potencial doador (2).

A diretriz sugere a realização de um checklist contendo as metas a serem alcançadas imediatamente após o 1º exame clínico do protocolo de morte encefálica. Este deve ser repetido a cada 6h até a retirada dos órgãos para o transplante.

Checklist com metas. (2)
Fluxograma de manutenção do potencial doador (2).

Referências

  1. ABTO. Registro brasileiro de transplantes. Dados numéricos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição no período: JANEIRO / MARÇO – 2021. Ano XXVII No 1. Disponível em: <https://site.abto.org.br/publicacao/xxvii-no-1/> 
  2. Westphal GA, et al. Diretrizes brasileiras para o manejo de potenciais doadores de órgãos em morte encefálica. Uma força-tarefa composta por Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, Brazilian Research in Critical Care Network e Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplantes. Rev Bras Ter Intensiva. 2021;33(1):1-11. Disponível em: <file:///C:/Users/danie/Downloads/0103-507X-rbti-33-01-0001.pdf>

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Categorias

Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar todos”, você concorda com a nossa "Política de Privacidade".